Sensibilidade e poesia na contramão do lugar-comum.

Enlouqueça! O caos pode ser a mais perfeita ordem.

by

  Se eu puder te dar um conselho do alto dos meus parcos 34 anos, será: Se te entedia a ponto de comprometer a tua felicidade, VIRE A MESA. Serve pro teu trabalho, relacionamento, teu círculo de amigos, o que quer que seja. Não falo aqui de jogar tudo ao alto numa atitude inconsequente e irresponsável (pra você ...

View post

Juramento de União Afetivo-Amorosa

by

  NOTA: Burocratizar o amor é controverso. E, ao que me parece, os termos e condições de compromisso nos relacionamentos (averbados ou não), andam um tanto obsoletos e vazios de significado. Me ocorreu então este Termo de Juramento. Aplica-se aos meus valores e à minha vivência, portanto é pessoal, embora eu não o considere intransferível. Take a look!     P.S. ...

View post

Tarde demais

by

Nos dias de tarde demais desvela-se noite ainda dia véu cinza, retinas que enlutam um sol que ainda ontem nascia * Nos dias de tarde demais vê-se claro à luz do breu acordam-se todos cansados do passo que nunca se deu * Nos dias de tarde demais Há espaço demais Estafa demais Bagagem demais Uns mapas nas mãos Destino que jaz Pavor sem porvir Há sono demais Ressaca demais E há barcos no cais que ...

View post

6 coisas (pra vida) que aprendi fazendo Trekking (Trilha do Caldeirão, Serra de Itabaiana-Se)

by

  1ª- Um passo de cada vez. Esteja em plena presença em cada um deles; caminhar sempre de olho no que vem muito à frente torna mais provável o seu tropeço. De vez em quando você vai ter que parar pra algum planejamento e pra checar se está na direção correta - faça isso com serenidade ...

View post

by

Trançou sua teia em fio breve de drama Despida que esteve de si, sentiu frio Às mãos, despedida - aceno vazio Pedaço de corpo em tão vasta cama

View post

by

Plantei tuas mãos nos meus versos - te quero perto Andei nos teus passos serenos - temente Vaguei no teu mar submersa - contente Lancei-me entregue aos ventos incertos * À vera enredada em raízes - deslizes Compasso do teu traço calmo - leve Tropeço cadente sem ritmo - breve Uns olhos de adeus, medo vivo - esquivos * E aqui, já depois do alvoroço ...

View post

Sobre o amor, a pressa e o preço

by

Disritmei, saí do compasso. Quis asas nos meus sapatos gastos. Na pressa de um fast-mundo, esqueci da minha natureza suave. Tropecei dançando rock num compasso de blues. Caí em mim, pesei mais do que os meus quilos. Você assistiu assustado e teve medo - pudera. Calou-se a música e eu me peguei pensando “calma, deixa ser ...

View post

Vã poesia

by

Houve quem lhe dissesse que é vã poesia quem disse foi ela falando de si no dia em que aos olhos a rima corria vazando em versos o pranto que vi *  E então ela ia entre motes diversos e se embebia em saraus de improviso e ali pareceu que havia motivo não era inútil rimar o universo * Compôs a razão com o que ...

View post

Lugar-comum

by

Lá fora onde estive havia de tudo Eu via o mundo cabendo em mim E vinha ao sim até o que não era Quem dera a viagem não tivesse fim Nas voltas, mil rotas de sonhos De todos eu penso que trouxe nenhum Enredos de contos fadados ao nada E aqui eu de volta ao meu lugar-comum.

View post

by

SEJA, mesmo que seque FLUA, mesmo que estanque NUA, intérmino arremate CRUA, mudança constante

View post